ACONTECE IMOB

NOTÍCIAS

Voltar

Minha Casa Minha Vida

Caixa Econômica prevê alta de 30% no crédito este ano

Após ampliar em mais de 40% suas operações de crédito em 2012, a Caixa Econômica Federal espera manter ritmo forte e encerrar 2013 com um volume de financiamentos 30% superior ao do ano passado.

08/04/2013

Após ampliar em mais de 40% suas operações de crédito em 2012, a Caixa Econômica Federal espera manter ritmo forte e encerrar 2013 com um volume de financiamentos 30% superior ao do ano passado. O momento favorável leva a pretensões ainda maiores.

A meta é que a Caixa chegue a 2022 como um dos três maiores bancos do país em volume de ativos. Hoje, ocupa a quarta posição de um ranking liderado por Banco do Brasil, Itaú e Bradesco.

O salto nos últimos meses foi influenciado pela política do governo que reduziu os juros dos empréstimos da Caixa e do Banco do Brasil como parte dos estímulos para a economia. O presidente do banco, Jorge Hereda, afirma que a expansão ocorreu com rapidez, mas com segurança. Por isso, defende, não há motivos para o rebaixamento da nota de crédito do banco pela agência de classificação de risco Moody’s, ocorrido em 20 de março.

— O governo falou para os bancos públicos darem crédito. Nós enxergamos uma oportunidade (de crescer). E nossa estratégia deu certo. Já temos hoje a segunda maior carteira de crédito do país — afirma Hereda.

Na sua avaliação, o rebaixamento da nota de crédito não teria ocorrido “se olhassem o balanço”. A taxa de inadimplência, por exemplo, foi de 2,08% no quarto trimestre de 2012, mesmo nível dos 2% do fim de 2011.

— Temos espaço grande para crescer com segurança. Nossa expectativa é de aumento de 30% dos empréstimos. Temos crescido com cuidado, não temos feito maluquice.

Em 2012, a expansão foi de 41,8% frente a 2011 e o volume de empréstimos chegou a R$ 353,7 bilhões em empréstimos. Foram abertas 559 agências e 1.112 lotéricas. O número de clientes pessoas físicas saltou de 57.280 em 2011 para 63.580 em 2012. Já no segmento de pessoas jurídicas, o aumento foi de 1.260 para 1.658, na mesma base de comparação.

O desempenho tem ajudado a Caixa a ampliar sua fatia no mercado de crédito nacional. Em 2008, a participação era de 6% e passou a 15% no ano passado. A meta é chegar a 17,5% no fim deste ano. Entre as áreas que vão ajudar nessa expansão, segundo Hereda, estão infraestrutura, veículos e agrícola.

0800 para o Minha Casa Minha Vida

A expansão, no entanto, tem exigido um esforço extra para garantir a qualidade do serviço aos clientes. O banco contratou há seis meses a consultoria McKinsey, que está fazendo uma reestruturação ampla, com mudanças em diretorias e superintendências que permitam um melhor índice de eficiência.

— Ganhamos mais clientes, fomos o banco que mais cresceu, com o maior lucro. E temos que dar sustentabilidade a isso com um melhor atendimento. Foram onze mil novos funcionários em 2012 — diz o executivo, que está à frente do banco desde 2011.

A atenção para ampliar a qualidade é parte ainda da estratégia para se diferenciar dos concorrentes, para além das taxas de juros menores.

A preocupação com o atendimento também se estende ao programa Minha Casa Minha Vida. Na semana passada, Hereda anunciou em entrevista ao GLOBO uma ofensiva às construtoras do programa depois que dois edifícios construídos no Fonseca, em Niterói, tiveram que ser demolidos por causa de problemas em sua estrutura.

Nos próximos dias, o banco lança oficialmente a campanha “Caixa de Olho na Qualidade do Minha Casa Minha Vida”. Os moradores dos empreendimentos poderão reclamar por um telefone exclusivo (08007216268) ou pela internet (mcmv.caixa.gov.br). A campanha ficou a cargo da agência de publicidade nova s/b.

— Estamos virando o jogo. As pessoas vão poder reclamar e as empresas terão que responder, sob o risco de entrarem no cadastro negativo da Caixa — explica Jorge Hereda.

Fonte: CenarioMT