ACONTECE IMOB

NOTÍCIAS

Voltar

Seguro Decenal

Seguro Decenal pode evitar que sonho se torne pesadelo

O sonho da casa própria pode virar pesadelo para o consumidor ao encontrar o seu imóvel com rachaduras e infiltrações.

22/03/2013

O sonho da casa própria pode virar pesadelo para o consumidor ao encontrar o seu imóvel com rachaduras e infiltrações. São inúmeros os relatos de consumidores que viram os seus sonhos desfeitos e que ficaram desamparados por não contar com seguros adequados às suas necessidades. Por isso, as operações da Essor Seguros são pautadas no tripé: proteção ao consumidor; garantia da entrega do imóvel em construção e de sua qualidade técnica.

A casa própria e ainda morar em um imóvel novo é o desejo da maioria dos brasileiros. É o caso da geógrafa Erika Leite. Infelizmente, uma rachadura transformou o início da vida num novo lar em uma grande dor de cabeça. Quatro meses após receber as chaves do apartamento no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, a parede de um dos quarto começou a rachar.

Perigo de queda

"No início, estava pequena e muito superficial. Eu liguei para a construtora comunicando e disseram que retornariam em cinco dias úteis. Eles não retornaram. A rachadura foi ganhando forma de escada e crescendo, tomando quase toda a parede", conta a mestre em Meio Ambiente.

Com aumento da rachadura, a preocupação de Erika também foi crescendo. Recém-casada, ela e o marido descobriram, por meio da planta do imóvel, que aquela era uma parede considerada estrutural, que não pode ser derrubada, pois serve de sustentação para o prédio.

"Fiquei com medo. Vi que podia ser até perigoso se aquela parede caísse. Só depois de ligar novamente e brigar com a construtora é que, dois meses depois, eles foram até a minha casa analisar o motivo da rachadura." Os técnicos descobriram que entre todos os tijolos daquela parede não havia massa.

Trabalho mal feito

Segundo Erika, foi formando um caminho na rachadura porque os tijolos não estavam unidos. "Aí tiveram que fazer uma obra para preencher os espaços com argamassa de ligação. Mas eles fizeram um trabalho muito mal feito. Oito meses depois, a rachadura começou a se formar novamente. E uma funcionária do prédio disse que isso tinha acontecido também em outros apartamentos", acrescentou.

Além da preocupação, Erika teve que perder dias de trabalho para acompanhar a obra. Há dois meses ela se mudou e deixou para trás o problema, esperando que o próximo proprietário tenha mais sorte com o imóvel.

Seguro obrigatório

Mas o que está em jogo não é uma questão de sorte. É uma situação de risco e, no mínimo, estressante. Se todos os imóveis novos tivessem seguros que prevenissem contra este tipo de situação, muitas problemas como os da Erika, seriam evitados.

Na Europa é comum este tipo de seguro. Em países como Alemanha , França e Espanha eles são obrigatórios. No Brasil, a pioneira neste ramo é a Essor Seguros com o Seguro Decenal - que garante a infra-estrutura da obra por 10 anos.

Na prática, a empresa não permite a construção de prédios e/ou obras de infra-estrutura sem o estudo do solo, engenheiros acompanhando a obra desde o início para evitar a utilização de materiais mais baratos ou que não sigam as especificações técnicas do projetos, entre outras exigências.

Erro de execução

"Com certeza houve erro na execução, pois trata-se de "assentar" as alvenarias sempre com as argamassas de ligação entre os tijolos, e para alvenaria estrutural, não é recomendado o assentamento sem argamassas. Isso não aconteceria se houvesse um acompanhamento da obra por engenheiros da equipe da Essor", explica Fábio Pinho, diretor-executivo da seguradora.

Também faz questão de deixar bem claro que "o seguro é fundamental para que o proprietário não tenha surpresas, como a de Erika, e encontre rachaduras no imóvel."

Fonte: Monitor Digital