ACONTECE IMOB

Artigos

Voltar

Como proteger as obras contra os mosquitos transmissores de doenças

Com o verão e a temporada de chuvas no seu auge, volta à tona uma grande preocupação de toda a população: os mosquitos transmissores de doenças como Dengue, Chikungunha e o Zika Vírus. Com as fortes chuvas, pode ocorrer mais facilmente o acúmulo de água em recipientes descobertos como pneus velhos abandonados, piscinas não tratadas

11/01/2017

Com o verão e a temporada de chuvas no seu auge, volta à tona uma grande preocupação de toda a população: os mosquitos transmissores de doenças como Dengue, Chikungunha e o Zika Vírus.

Com as fortes chuvas, pode ocorrer mais facilmente o acúmulo de água em recipientes descobertos como pneus velhos abandonados, piscinas não tratadas, pratinhos de vasos de plantas e outros locais que acabam por se torna criadouros desses mosquitos que, uma vez contaminados com os vírus, transmitem as doenças às pessoas que são picadas por eles.

Os prédios e casas em construção podem ser locais perigosos nesta situação, uma vez que abriga materiais e diversos itens que podem acumular água parada, como carrinhos de mão, betoneiras, lajes, tonéis e fossos de elevador.

Para ajudar a combater os criadouros dos mosquitos, o Serviço Social da Construção (Seconci-SP) realizou em 2016 155 palestras para 5.057 trabalhadores da construção civil sobre a importância de eliminar os possíveis focos no local de trabalho e também em seus domicílios.

Somente esta entidade atendeu mais 280 casos suspeitos de dengue no ano passado em suas 13 unidades próprias na capital, no litoral e no interior paulista. Apenas em São Paulo, unidade central, foram 61 casos.

Segundo relatório divulgado no mês de dezembro do ano passado pelo Ministério Saúde foram 1.487.673 casos de dengue registrados no Brasil, 211.770 casos prováveis de Zika Vírus (nem todos tiveram constatação com teste) e 263.589 casos prováveis de Chicungunha (também não houve realização de teste para todos os pacientes).

Portanto, é preciso atenção redobrada nesta época do ano. Principalmente porque o canteiro de obra é um local propício para o surgimento do mosquito Aedes aegypti. Além disso, devemos cuidar também de nossas casas e nosso entorno: evitar deixar recipientes abertos e expostos que possam acumular água (como pneus, garrafas, baldes e outros itens que possam ficam espalhados no quintal, por exemplo), trocar diariamente a água dos animais de estimação, colocar cloro nos ralos, colocar areia no pratinho das plantas e não jogar lixo na rua, em terrenos baldios ou mesmo nos rios.

Para vencer esta luta, cada um precisa fazer a sua parte!