ACONTECE IMOB

NOTÍCIAS

Voltar

Construção Social

“Minha Casa” poderá ter energia solar

O engenheiro mecânico cearense Fernando Alves Ximenes desenvolve um sistema que transforma energia solar em elétrica para moradias de baixa renda. A proposta poderá ser implantada no programa Minha Casa, Minha Vida, em Itaitinga, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

21/03/2012

O engenheiro mecânico cearense Fernando Alves Ximenes desenvolve um sistema que transforma energia solar em elétrica para moradias de baixa renda. A proposta poderá ser implantada no programa Minha Casa, Minha Vida, em Itaitinga, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

São quatro mil residências que poderão ter geração própria de energia. Para isso, o investimento é de R$ 6 milhões, ou seja, R$ 1,5 milhão por casa, revelou ao O POVO o cientista.

Para adaptar a proposta aos recursos do programa do Governo Federal, o engenheiro, juntamente com o empresário André Montenegro, já manteve reunião com a Caixa Econômica Federal (CEF), responsável pela operação os recursos do Minha Casa, Minha Vida.

"Está sendo estudado a viabilidade econômica. Já tivemos contato com a Caixa Econômica e ela se apresentou favorável. É o primeiro projeto do Brasil a incrementar o Minha Casa, Minha Vida nesse sentido. No desenvolver de 2012, deve ser decidido", informou Ximenes. Ele disse ainda que o assunto vem sendo estudado desde 2010.

Uma residência de baixa renda consome cerca de 120 Quilowatt.hora por mês (KWh/mês). O projeto será adaptado a essa realidade, afirmou Ximenes. O projeto da "torre inteligente" figurou no primeiro lugar no Prêmio Inova, concedido pela Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec).

O POVO entrou em contato com a Caixa. Não foi possível dar mais detalhes sobre o assunto. A assessoria de imprensa afirmou, no entanto, que o banco recebe bem projetos de inovação tecnológica que gerem melhoria na qualidade construtiva ou na redução do custo das famílias. Essas propostas passam por uma análise do Ministério das Cidades, antes de serem inseridos no Minha Casa, Minha Vida.

O POVO também tentou contato com o empresário André Montenego. Até o fechamento desta edição, seu telefone celular não foi atendido.

Ideia em prática


A proposta de geração própria de energia renovável já começou a sair do papel no início de 2010, quando Fernando Ximenes instalou um sistema no Palácio Iracema - ex-sede administrativa do Governo do Estado. Por meio eólico e solar, o "poste inteligente" tem potência de três Kilowatts (KW) e é responsável por alimentar o poste sobre o qual está.

Desde novembro, e até junho, funciona um projeto mais audacioso na Faculdade de Tecnologia do Nordeste (Fatene). Segundo Ximenes, é a primeira torre eólico-solar a abastecer, sozinha, uma instituição de ensino superior no Brasil.

O cientista afirmou que os recursos serão compensados em 30 meses, com economia da tarifa de energia. Cerca de 20 pessoas participaram diretamente na execução do projeto, que teve início em 2009, com a medição dos ventos.

A "torre inteligente" é regida pela legislação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que diz que qualquer pessoa física ou jurídica poderá ter sua produção independente de energia, podendo inclusive revendê-la ao sistema à concessionária.

Por quê

ENTENDA A NOTÍCIA

O Ceará mostra ao mundo seu potencial nas energias renováveis. É só lembrar do professor Expedito Parente, que inventou o biodiesel. Agora, temos avanços na área solar e eólica. Vale investir nessas pessoas e na inovação.

Números

720 quilowatts por dia é quanto gera a "torre inteligente", que alimenta de energia renovável a Faculdade de Tecnologia do Nordeste (Fatene)

Fonte:
O Povo