ACONTECE IMOB

NOTÍCIAS

Voltar

CBIC Hoje

Secovi espera aumento de 10% das vendas de residenciais em São Paulo

As vendas de imóveis residenciais na cidade de São Paulo projetadas para o ano de 2012 devem atingir 31,1 mil unidades, segundo a Pesquisa sobre Mercado Imobiliário realizada pelo Departamento de Economia e Estatística do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP).

09/05/2012

As vendas de imóveis residenciais na cidade de São Paulo projetadas para o ano de 2012 devem atingir 31,1 mil unidades, segundo a Pesquisa sobre Mercado Imobiliário realizada pelo Departamento de Economia e Estatística do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP). Se alcançado, este número representará um crescimento de 10% em relação as 28,3 mil unidades vendidas no ano passado, e movimentará cerca de R$ 14,8 bilhões, ou seja, R$ 1,3 bilhão a mais que em 2011.

O economista-chefe do Sindicato da Habitação, Celso Petrucci, afirmou nesta terça-feira que o mercado caminha para um equilíbrio: "Os números da pesquisa nos permitem supor que há um processo de redução na diferença entre as unidades lançadas e as comercializadas", afirmou.

A projeção de lançamentos em 2012 na capital, totaliza 36,2 mil unidades, ou redução de 5%. De acordo com Petrucci, o mercado imobiliário passa agora por um processo natural de acomodação, mas que crescerá de modo sustentável ao longo do ano. O presidente do Secovi-SP, Claudio Bernardes, salientou que as novas regras da poupança devem ser positivas para o mercado: "Existe uma tendência de queda de juros para os financiamentos imobiliários. Isso impactará positivamente o mercado".
 
As vendas de imóveis novos residenciais na cidade de São Paulo registraram alta de 27% em termos reais no valor movimentado no primeiro trimestre deste ano em relação a igual período do ano passado. Foram comercializados R$ 2,73 bilhões ante R$ 2,15 bilhões registrados de janeiro a março de 2011, segundo a pesquisa sobre mercado imobiliário na cidade, feita pelo departamento de economia e estatística do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP).

Em unidades o crescimento foi de 26,6% no período, para 5,4 mil imóveis comercializados. No primeiro trimestre do ano passado foram vendidas 4,265 mil unidades.  Conforme dados apurados pela Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), os lançamentos residenciais na cidade de São Paulo totalizaram 3,635 mil unidades até março, o que representa uma queda de 29,2% na comparação com igual período do ano passado, quando foi de 5,133 mil unidades. Os resultados indicam que o mercado pode estar em processo de ajuste em relação ao desequilíbrio entre volume de lançamentos e de vendas ocorrido no ano passado.

As vendas de imóveis residenciais na cidade de São Paulo projetadas para o ano de 2012 devem atingir 31,1 mil unidades, segundo a Pesquisa sobre Mercado Imobiliário realizada pelo Departamento de Economia e Estatística do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP). Se alcançado, este número representará um crescimento de 10% em relação as 28,3 mil unidades vendidas no ano passado, e movimentará cerca de R$ 14,8 bilhões, ou seja, R$ 1,3 bilhão a mais que em 2011.

O economista-chefe do Sindicato da Habitação, Celso Petrucci, afirmou nesta terça-feira que o mercado caminha para um equilíbrio: "Os números da pesquisa nos permitem supor que há um processo de redução na diferença entre as unidades lançadas e as comercializadas", afirmou. A projeção de lançamentos em 2012 na capital, totaliza 36,2 mil unidades, ou redução de 5%. De acordo com Petrucci, o mercado imobiliário passa agora por um processo natural de acomodação, mas que crescerá de modo sustentável ao longo do ano.

O presidente do Secovi-SP, Claudio Bernardes, salientou que as novas regras da poupança devem ser positivas para o mercado: "Existe uma tendência de queda de juros para os financiamentos imobiliários. Isso impactará positivamente o mercado".

As vendas de imóveis novos residenciais na cidade de São Paulo registraram alta de 27% em termos reais no valor movimentado no primeiro trimestre deste ano em relação a igual período do ano passado. Foram comercializados R$ 2,73 bilhões ante R$ 2,15 bilhões registrados de janeiro a março de 2011, segundo a pesquisa sobre mercado imobiliário na cidade, feita pelo departamento de economia e estatística do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP).

Em unidades o crescimento foi de 26,6% no período, para 5,4 mil imóveis comercializados. No primeiro trimestre do ano passado foram vendidas 4,265 mil unidades. Conforme dados apurados pela Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), os lançamentos residenciais na cidade de São Paulo totalizaram 3,635 mil unidades até março, o que representa uma queda de 29,2% na comparação com igual período do ano passado, quando foi de 5,133 mil unidades. Os resultados indicam que o mercado pode estar em processo de ajuste em relação ao desequilíbrio entre volume de lançamentos e de vendas ocorrido no ano passado.

Fonte: DCI