ACONTECE IMOB

Artigos

Voltar

Principais fatores que trazem riscos e atrasos para as obras

Ao decidir iniciar uma construção, além do alto investimento, expectativa e empenho do investidor e de todos os envolvidos, o imprevisível infelizmente pode acontecer. Comparado a outros setores, a construção civil é um dos que mais está sujeito a incidentes. Em uma obra transitam muitas vezes centenas de pessoas, máquinas, equipamentos e materiais (de todo o tipo de

22/05/2017

Ao decidir iniciar uma construção, além do alto investimento, expectativa e empenho do investidor e de todos os envolvidos, o imprevisível infelizmente pode acontecer. Comparado a outros setores, a construção civil é um dos que mais está sujeito a incidentes. Em uma obra transitam muitas vezes centenas de pessoas, máquinas, equipamentos e materiais (de todo o tipo de composição), em um ritmo de trabalho onde um descuido pode vir a ser fatal para uma vida e para uma empresa.

Abaixo, falaremos sobre alguns itens que podem atrapalhar o andamento das atividades de construção:

- Transporte e manuseio de materiais: o transporte de qualquer carga a caminho de uma obra ou mesmo o manejo dela dentro da construção pode representar riscos, principalmente quando se trata de itens grandes e pesados, como é o caso das vigas de metal, por exemplo. Um acidente – como um tombamento, por exemplo - com um desses materiais pode colocar em risco a vida das pessoas e também atrasar o cronograma das atividades;

- Armazenagem: na hora de guardar os materiais recebidos e que serão utilizados em uma obra, o lugar deve ser muito bem escolhido. A correta armazenagem dos itens ajuda a agilizar as atividades da obra. Em contrapartida, quando em local está distante ou de difícil acesso (que exija o uso de empilhadeiras, escadas ou outros equipamentos), este fator pode acarretar em atraso considerável, pois o tempo para sua retirada, manuseio e transporte até a utilização do artigo será muito maior. Por isso, o ideal é que cada material seja armazenado próximo de onde será empregado e esteja de fácil e seguro alcance;

- Materiais de segunda linha: a compra de materiais mais baratos pode até parecer convidativa, mas é preciso se atentar se os itens são aprovados e podem ser utilizados sem riscos ou perda de qualidade para a obra. É importante economizar, mas muitas vezes essa busca incessante e a todo custo pode trazer mais prejuízos do que ganhos. Por exemplo, se você vai construir um telhado com estrutura de madeira, precisa estar atento ao tipo de material que irá utilizar, pois esta madeira precisa ser adequada para a finalidade a qual está destinada, uma vez que ela estará exposta à ação do tempo e ainda suportando um grande peso. Precisa ser um material resistente, de grande qualidade ou, além de trazer riscos para os moradores, pode acabar cedendo e então todo o telhado terá que ser refeito, o que acarretará novos e altos gastos, além de grande atraso para a obra;

- Imperícia de profissionais: a falta de experiência, habilidade ou mesmo de cuidado de um profissional em uma obra pode ser bastante perigosa. Sendo assim, é importante que se contrate apenas pessoas qualificadas para cada tipo de atividade em específico. Por exemplo, um azulejista não está habilitado a construir um telhado e pode colocar a obra e até mesmo sua vida – e a de outras pessoas - em risco ao se propor a isso. Portanto, é preciso ser especialista e estar sempre bem focado no que se está realizando.

Além disso, não podemos nos esquecer dos desastres naturais, que muitas vezes podem não ser previstos, mas causam grandes danos às construções e riscos às pessoas, tais como: alagamentos, incêndios e desmoronamentos.

Para reduzir esses riscos de acidentes, é preciso o uso de todos os equipamentos de segurança individuais (EPI) e coletivos (EPC) de cada atividade específica a ser executada, como por exemplo: capacete, cinto de segurança tipo de paraquedista (para trabalhos realizados em alturas superiores a 2 metros de altura), protetores auditivos, máscaras, luvas, extintores de incêndio, faixas isolantes, entre muitos outros.

É preciso lembrar que a maior parte dos acidentes (com exceção dos causados pelas forças da natureza), não só na Construção Civil, ocorrem por falta de atenção. Por isso, é muito importante que cada profissional esteja sempre 100% do tempo focado e concentrado no que está fazendo. Para isso, reuniões, conversas e exercícios em equipe para compartilhar ideias, informações e boas práticas são essenciais já que, muitas vezes de forma simples, as próprias pessoas podem contribuir para um ambiente mais seguro para todos.

Porém, infelizmente, nem sempre é possível reduzir os riscos de acidentes e fatalidades para zero. Por isso, é muito importante a contratação de seguros para proteger as pessoas e as obras.

Com a obra e os trabalhadores assegurados, os equipamentos de proteção corretos e bem utilizados e cada um fazendo a sua parte, focado e concentrado em suas atividades, podemos sim levar uma maior segurança e tranquilidade para as construções, os operários e, é claro, suas famílias.