ACONTECE IMOB

Artigos

Voltar

Como se proteger de incidentes na hora de construir ou reformar

Também conhecido como seguro de obras civis em construção (OCC), ele dá respaldo contra incêndios, roubo, furto qualificado, acidentes, erros de projeto, propriedades circunvizinhas, danos físicos em consequência de riscos do fabricante para máquinas e equipamentos novos ou até mesmo incidentes meteorológicos.

16/05/2018

Em meio a tijolos, vigas, máquinas e ferramentas é natural que haja risco de danos corporais – e os próprios materiais podem sofrer avarias. Por isso é importante que incorporadoras e construtoras estejam cientes de uma modalidade de seguro até agora pouco difundida no Brasil, mas que oferece segurança na hora de construir ou reformar, já que a responsabilidade é grande e recai sobre as empreiteiras e o proprietário da obra: o Seguro de Riscos de Engenharia.

Também conhecido como seguro de obras civis em construção (OCC), ele dá respaldo contra incêndios, roubo, furto qualificado, acidentes, erros de projeto, propriedades circunvizinhas, danos físicos em consequência de riscos do fabricante para máquinas e equipamentos novos ou até mesmo incidentes meteorológicos (granizo, vendaval, raios, alagamento, entre outros). 

Coberturas OCC são adequadas quando mais de 75% do empreendimento são obras civis, ou seja, envolvem areia, cimento, brita, concreto e instalações comuns de hidráulica e eletricidade. Entre as coberturas especiais estão uma série de acontecimentos que podem trazer dor de cabeça aos responsáveis pela obra, como despesas que não estavam previstas com logística ou hora-extra da mão de obra, danos causados por tumultos ou greves, obras temporárias como andaimes e barracões no canteiro de obras, incêndio após a entrega do prédio, retirada de entulho, entre outros. 

Caso o custo da montagem e instalação de equipamentos não ultrapasse 25% do total assegurado, esta parte também estará coberta. No entanto, se ficar acima desse limite, será preciso contratar o seguro de instalação e montagem (IM) de forma conjugada. Esta modalidade cobre eventos como a montagem de estandes dentro de um shopping ou uma feira, mas nestes casos também protege equipamentos que serão instalados e permanecerão no empreendimento, como elevadores, ar-condicionado central e escadas rolantes. 

E o contrário também é verdadeiro. Se a obra for constituída por pelo menos 75% de montagens em geral (mecânicas, elétricas, hidráulicas, estruturas metálicas etc), o seguro deve ser de instalação e montagem, pois as obras civis necessárias estarão automaticamente cobertas. Caso elas excedam 25%, também será necessário criar uma apólice conjugada entre as duas modalidades. 

Além de OCC e IM há ainda o seguro de quebra de máquinas (QM). Esta modalidade protege equipamentos de empresas em funcionamento e conta com uma opção específica para eletrônicos.

A diretora da GEO e coordenadora do Convênio de Seguros da CBIC, Rossana Costa, destaca a importância deste tipo de seguro para garantir até mesmo que um empreendimento seja concluído. “O desafio é oferecer apólices consistentes sem torná-las um custo excessivo na hora de projetar a obra”, acredita.


Seguros All Risks


As apólices que cobrem todo e qualquer evento recebem o nome de all risks (todos os riscos). A exceção, nestes casos, fica por conta de casos citados explicitamente no contrato. É assim que funciona nos seguros OOC e IM: as apólices não descrevem os riscos cobertos, mas os excluídos. Assim, todo acontecimento que não estiver mencionado especificamente no contrato estará automaticamente coberto.

É importante salientar que o Seguro de Riscos de Engenharia não cobre depreciação das máquinas e equipamentos, mas sim os danos causados súbita e imprevisivelmente, como os exemplos citados anteriormente. Também não estão cobertos os problemas originados por negligência flagrante ou intencional do segurado ou responsáveis pela obra.

O Seguro de Riscos de Engenharia da CBIC tem taxa única para qualquer tipo de obra e pode ser parcelado por todo o prazo da obra, sem juros. Seu valor segurado é corrigido anualmente pelo índice da construção. É totalmente sem franquia e sem participação do segurado em caso de qualquer acidente ou sinistro, além de ser o primeiro produto digital de riscos de engenharia do mercado segurador desde a contratação até o sinistro. Por todos esses motivos, não há mais por que perder o sono enquanto a obra é desenvolvida.