ACONTECE IMOB

Artigos

Voltar

Construir ou reformar de forma sustentável: a natureza agradece

Poucos temas estão tão em alta quanto a sustentabilidade. O tratamento adequado dos materiais contribui para a organização do canteiro de obras e o consequente sucesso do empreendimento. Outra forma de proteger o projeto é fazendo um seguro de qualidade estrutural (decenal), como veremos a seguir. 

16/05/2018

Poucos temas estão tão em alta quanto a sustentabilidade. O tratamento adequado dos materiais contribui para a organização do canteiro de obras e o consequente sucesso do empreendimento. Outra forma de proteger o projeto é fazendo um seguro de qualidade estrutural (decenal), como veremos a seguir. 

A construção sustentável ajuda a garantir o desenvolvimento sem comprometer os recursos necessários para a subsistência das futuras gerações. A preocupação com esse assunto levou à criação do Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (CBCS), uma organização da sociedade civil de interesse público (OSCIP), fundada em 2007, por lideranças empresariais, pesquisadores, consultores e simpatizantes da causa. Segundo a entidade, o objetivo é contribuir para a geração e difusão de conhecimento e de boas práticas na construção civil, promovendo a inovação e integrando o setor da construção aos demais setores da sociedade.

Termos como green building e edifício verde vêm ganhando cada vez mais espaço. A fim de garantir um crescimento ordenado e que respeite a natureza, diversas certificações foram criadas. Elas atestam o comprometimento das construtoras com a causa e chancelam a condição de sustentabilidade dos empreendimentos. 


Certificações de sustentabilidade


Uma das mais conhecidas é a Certificação Leed (Leadership in Energy and Environmental Design), criada pela organização não governamental americana U.S. Green Building Council (USGBC) levando em conta os critérios de racionalização de recursos como água e energia. A estimativa da entidade é de que pelo menos 170 mil metros quadrados sejam certificados diariamente nos mais de 160 países onde atua.

No Brasil, o escritório do Green Building Council foi inaugurado em 2007 e desde então tem incentivado a adoção de práticas sustentáveis durante todas as fases de desenvolvimento de uma obra, da concepção à operação das edificações. Segundo ranking divulgado em 2015, o País é o quarto no mundo quando se fala em construções verdes (atrás de Canadá, China e Índia).

A avaliação funciona por meio do que a ONG denomina “sete dimensões”, com pré-requisitos e créditos que correspondem à pontuação da edificação. A soma dos pontos define o nível de certificação, que pode ir de 40 pontos (certificado) a 110 pontos (platina). As dimensões são espaço sustentável; eficiência do uso da água; energia e atmosfera; materiais e recursos; qualidade ambiental interna; inovação e processos; créditos de prioridade regional. 

Outra certificação de grande relevância no Brasil é o Selo Casa Azul, instituído pela Caixa Econômica Federal. Assim como o Leed, o selo promove o uso racional de recursos naturais durante a construção dos empreendimentos e, depois, no uso cotidiano e na manutenção dos prédios. 

Os 53 critérios de avaliação estão divididos entre as categorias de qualidade urbana, projeto e conforto, eficiência energética, conservação de recursos naturais, gestão da água e práticas sociais. Já a pontuação segue o cumprimento de 19 critérios obrigatórios e está dividida entre bronze (quando atende aos 19), prata (atende aos 19 obrigatórios e mais seis opcionais) e ouro (todos os obrigatórios e ainda 12 opcionais). Entre as vantagens está o fato de ser gratuita – além de promover o empreendimento, já que a Caixa costuma divulgar as construções certificadas em ações de marketing.


Sustentabilidade na construção civil


Para completar a ação sustentável, é importante o uso racional de recursos depois de concluída a obra e ocupada a edificação. O setor da construção é considerado aquele que mais consome recursos naturais e existem formas de compensar este impacto, como o a classificação e o tratamento de resíduos. Uma maneira ainda mais fácil é evitar o desperdício de papel (e dinheiro). Por isso o Convênio de Seguros atua de forma totalmente digital e você pode contratar o seguro para sua obra sem comprometer a natureza. 


Proteja seu empreendimento


O Convênio de Seguros conta com mais de mil corretores que além de um portal de seguros formam uma rede de contatos. A operação está amparada em alta tecnologia para levar a melhor experiência possível aos clientes quando o assunto é securitização, desburocratizando e zelando pela transparência da parceria com construtoras e incorporadores. 

“Somente no último ano, mais de 2,6 milhões de folhas de papel foram economizadas”, garante a diretora da GEO e coordenadora do Convênio de Seguros, Rossana Costa. Pelo site é possível entender as especificidades de cada produto, como o de qualidade estrutural, o de risco de engenharia e responsabilidade civil ou o seguro de infraestrutura. Além disso, a contratação pode ser feita em poucos cliques. 

Além de proteger a natureza, o Convênio de Seguros também cuida do sucesso dos empreendimentos. Por meio do Seguro de Qualidade Estrutural (decenal) ele garante a reparação de danos estruturais do imóvel por um período de dez anos após a conclusão da obra, da qual mantém acompanhamento permanente.

O Convênio de Seguros é o primeiro projeto de seguros totalmente on-line do Brasil e está voltado para o que há de mais moderno no setor. São mais de mil corretores em todo o país e centenas de construtoras e incorporadoras parceiras, refletindo na qualidade dos produtos desenvolvidos para cada especificidade.